Menssagem de erro

TEMAS RELACIONADOS

LOCALIDADES RELACIONADAS

ARTISTAS RELACIONADOS

Trabalho coletivo

Ainda que não seja possível estabelecer um padrão, é fato que grande parte dos artistas populares teve uma escolaridade deficiente, e muitos jamais foram à escola, o que não impediu o surgimento de outras formas de transmissão (e inovação) do saber tradicional, nem dificultou o aparecimento de importantes núcleos produtores de arte popular. Na área da cerâmica, destacam-se o Alto do Moura (Caruaru, Pernambuco), Tracunhaém (Pernambuco); Campo Alegre, Santana do Araçuaí e Caraí (Vale do Jequitinhonha, Minas Gerais) e algumas localidades situadas no Vale do Paraíba, em São Paulo. Nestas pequenas comunidades, onde o trabalho coletivo é muito presente, o aprendizado das técnicas tem sido passado informalmente, permitindo o surgimento contínuo de novos artistas.

OBRAS
  • Casa de farinha
  • Casa de farinha
  • Casa de Farinha
Vitalino Pereira dos Santos, Mestre Vitalino, é uma figura emblemática na arte popular brasileira. Nasceu em 1909, na vila de Ribeira dos Campos, próximo ao Alto do Moura, em Caruaru (PE). Criado em um ambiente oleiro, desde cedo começou a modelar boizinhos e outros brinquedos, que eram vendidos na feira local. Foram as suas esculturas que despertaram a atenção dos grandes centros urbanos para o vasto território da criação plástica popular. Apresentado ao grande público em 1947, numa exposição coletiva organizada no Rio de Janeiro, na qual eram mostradas obras de artesãos e artistas populares pernambucano, Mestre Vitalino tornou-se uma das principais figuras do mundo da arte popular, então pouco divulgado. Sobre ele, foi contada uma série de histórias, muitas das quais adquiriram dimensões quase míticas. Isso possibilitou que se conhecesse e se abordasse a dura realidade do sertanejo nordestino da década de 1940 por um novo caminho, até então impensável: a partir de seus principais atores e pela via das artes. Vitalino é conhecido como mestre por seu virtuosismo e pela liderança que exerceu entre os demais ceramistas de sua localidade. Faleceu no dia 20 de janeiro de 1963, vitimado por varíola, em sua residência, aos 53 anos de idade. Angela Mascelani

Páginas